Braquiterapia – entenda esse tratamento

0
1

Já falamos sobre Radioterapia, Quimioterapia e agora falaremos sobre outra modalidade importante de tratamento oferecido pelo CEBROM – Medicina Oncológica, a Braquiterapia.

 

Mas o que é realmente a Braquiterapia?

Trata-se de um tratamento onde uma fonte radioativa é colocada próximo ou mesmo dentro do órgão a ser tratado. É um método muito eficaz para determinados tipos de Câncer e tem diversos pontos positivos a serem considerados.

 

Quais são os tipos de Braquiterapia?

 

Existem dois principais tipos de tratamentos:

A Braquiterapia de “alta taxa de dose” que envolve a colocação de uma fonte de radiação próxima ou no interior do tumor, por alguns minutos, utilizando cateteres ou agulhas. Ela libera uma alta taxa de dose de radiação em pouco tempo. Esse tratamento é muito indicado para tumores pulmonares, ginecológicos, mamários, prostáticos, sarcomas, esôfago e regiões de cabeça e pescoço.

A Braquiterapia de “baixa taxa de dose” envolve a colocação de fontes radioativas que devem ser inseridas no órgão a ser tratado de maneira permanentemente. É bastante utilizada no tratamento de Câncer de próstata, onde são inseridas pequenas sementes no órgão e estas vão emitir uma taxa de dose baixa e gradativa ao longo dos dias.

 

Pontos positivos

 

Um deles é a redução das possíveis complicações, devido a colocação muito próxima ou internamente ao tumor, a outra vantagem é que, para alguns tipos de Câncer, a Braquiterapia poderá reduzir o número de sessões em relação à radioterapia externa.

A Braquiterapia geralmente é realizada em regime ambulatorial, ou seja, o paciente é liberado logo após o tratamento. A recuperação, dependendo do tratamento, normalmente é rápida e o paciente prossegue com seu ritmo normal de vida.

É claro que, como todo tratamento de Câncer, podem haver sintomas e efeitos colaterais. Os mais comuns são cansaço, perda de apetite, dor para urinar, sintomas intestinais, entre outros, a depender do que está sendo tratado.

É de extrema importância manter seu médico informado sobre esses efeitos colaterais e solicitar a equipe multidisciplinar para ajudar.

Nossos posts não substituem, de forma alguma o profissional, por isso, nos colocamos a sua disposição.

CEBROM
Cuidar, Sempre

Fonte: http://www.oncoguia.org.br/conteudo/braquiterapia/4654/711/ e http://www.oncoguia.org.br/conteudo/beneficios-da-braquiterapia/4657/711/ e http://www.oncoguia.org.br/conteudo/braquiterapia-de-baixa-taxa-de-dose-ldr/4656/711/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui